Voltar às Manchetes                                                                                                   Clique na foto e veja a cidade de vários ângulos

VAREJO

Sindilojas e CDL reúnem associados para debater propostas do III Seminário do Comércio de Erechim

 Prefeito Eloi Zanella falou das reivindicações atendidas pelo Governo Municipal

 O Sindicato do Comércio Varejista – Sindilojas – e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Erechim – CDL – realizaram, na noite da última quarta-feira, 2, uma promoção conjunta onde o convidado especial foi o prefeito Eloi João Zanella. Participaram associados das duas entidades, empresários, convidados e imprensa. 

O objetivo era ouvir do representante do Governo Municipal quais as propostas levantadas no III Seminário do Comércio de Erechim que foram atendidas pelo Poder Executivo. Zanella também fez uma apresentação do Programa Cresce/RS, que é um convênio firmado entre a Famurs, prefeituras e Banco do Brasil, e que visa estimular a economia local e a geração de emprego e renda. A reunião foi coordenada pelos presidentes do Sindilojas, Francisco José Franceschi, e da CDL, Flávio Dalasen.

De acordo com Zanella, o Programa Cresce/RS consiste em financiar pequenos e microempresários com faturamento bruto anual até R$ 5 milhões, num valor máximo de R$ 400 mil, através de uma linha de crédito com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT - . 

O Programa tem como finalidade financiar projetos de investimentos ou projetos de investimentos com capital de giro associado que proporcionem a geração ou manutenção de emprego e renda, na área urbana, viabilizando o desenvolvimento sustentado das microempresas e empresas de pequeno porte. 

Os empresários interessados podem se dirigir à Secretaria Municipal da Indústria e Comércio para obter todas as informações e encaminhar a solicitação.

Sobre as reivindicações elencadas pelos empresários no III Seminário do Comércio de Erechim, realizado em 2001, Eloi Zanella afirmou que a maioria dos itens já foi atendida. Disse, ainda, que alguma propostas estão em andamento e outras parados por questões técnicas. Entre as reivindicações atendidas, Eloi Zanella citou ações de incentivo ao turismo local, a revitalização das praças e do centro comercial da cidade, a repavimentação asfáltica, a humanização do trânsito, a iluminação pública, a identificação visual da cidade, a criação do estacionamento pago de acordo com o tempo e valor progressivo que deve entrar em funcionamento em breve, o estacionamento exclusivo para motos nos canteiros centrais, a instalação de novos semáforos e rótulas, a Via Perimetral Norte destinada ao trânsito pesado, a construção de escolas e ginásios poliesportivos, a construção do Mercado Popular destinado aos camelôs que estão nas ruas de Erechim e as novas Unidades Básicas de Saúde.

Sobre alguns dos itens que solicitavam a construção de um calçadão no centro da cidade e redução dos canteiros centrais para ampliar o estacionamento de carros, Zanella disse que a urbanização e o traçado da cidade são patrimônios que não devem ser mexidos e lembrou: “Erechim é uma das raras, senão a única cidade brasileira, a ser planejada antes de sua ocupação. Este é um dos nossos maiores patrimônios”, sentenciou.

O prefeito falou, ainda, sobre a instalação de novas rótulas, a retirada de alguns semáforos em cruzamentos onde não cumpriam a sua função de ser uma ferramenta de segurança, mas um complicador do trânsito, e a instalação destes equipamentos em alguns cruzamentos necessários.

Antes de finalizar, Zanella falou sobre a gestão administrativa e financeira da Prefeitura, como foi conseguido o equilíbrio do orçamento através da recuperação das finanças e o aumento da receita própria. Esta situação econômico-financeira do Município foi demonstrada em gráficos para que todos pudessem acompanhar, entre outros dados, os déficits e os superávits orçamentários e financeiros de 1994 a 2003, quando se atingiu o maior superávit financeiros deste período, chegando a 3.558 (em mil reais), e a evolução da receita e despesa realizada neste mesmo período. “Hoje, não se gasta mais do que se arrecada”, argumentou. Segundo Zanella, foi através do equilíbrio econômico-financeiro alcançado que se pode começar a investir nas obras que estão sendo executadas em todo o Município. Conforme explicou, em 2001 nada foi investido, em 2002 foram R$ 4,2 milhões de investimentos em obras de infra-estrutura, em 2003 R$ 9 milhões e, em 2004, serão mais de 18 milhões. Isto foi possível, segundo ele, através de uma aplicação adequada do orçamento público. 

 

Zanella com Dalasen e Franceschi

 

 

Eloi Zanella falando para os empresários

 

 

Flávio Dalasen e Francisco José Franceschi

 

 

Palestra de Eloi Zanella

 

04.06.04

_______________________________ 
Fonte: CopyDesk
 Assessoria de Comunicação

 

 

 

Design by Meirelles & Piccoli Publicidade - Fone (54) 321-6226


Copyright© 2004 - Meirelles & Piccoli Corp.
Todos os direitos reservados (All Rights Reserved)