Para anunciar nesta página, clique aqui!

 

 

Voltar às Manchetes                                                                                                   Clique na foto e veja a cidade de vários ângulos

 

   

URI – CAMPUS DE ERECHIM

 

 

Empresas brasileiras buscam cada vez mais o mercado externo como alternativa

(Conclusão é do segundo dia da Semana de Comércio Exterior da URI-Campus de Erechim)

Seja através de consórcios ou mesmo com iniciativas próprias, as empresas brasileiras estão buscando cada vez o mercado exterior para consolidar seu crescimento. E não são apenas as grandes organizações mas também as micro, pequenas e médias empresas. 

Para estas, o consórcio tem sido a melhor alternativa. É o que diz o consultor Marcos Vinícius Ferreira Donaduce, especialista em organizar grupos de empresas que querem exportar. “A APEX (Agência de Promoção à Exportação) é uma grande alternativa mas que exige dedicação e mobilização dos empresários”, avisa ele. Entretanto, o crescimento das empresas exportadoras com o consórcio é significativa, salienta o consultor.
Outras organizações, como a Dal Ponte, empresa que mais investe no futsal brasileiro, igualmente estão incrementando suas ações no exterior. Segundo Samuel Ilha, gerente de exportação da empresa, a organização já está atuando em 25 países. Seus produtos esportivos, principalmente o tênis e bolas, são usados por atletas, equipes e até seleções de outras nações. A empresa, com 23 anos de existência e 1.800 colaboradores, produz 16 mil pares de calçado esportivo e 3 mil bolas por dia para o Brasil e para o exterior.

A alternativa para aquelas empresas que querem exportar e não dominam o setor, é buscar auxílio no Banco do Brasil, que possui profissionais capacitados para orientar em todos os caminhos a serem seguidos. Segundo o gerente de administração do núcleo regional de negócios internacionais do Banco, Fabiano Lindem, a organização possui 100 gerentes de negócios internacionais que podem auxiliar qualquer empresa a buscar o mercado externo. “Nós temos várias alternativas para o empresariado e até para pessoas físicas. Somente neste ano, o Banco já disponibilizou U$ 234 milhões em recursos para exportação, fazendo com que o Brasil passe a ter uma fatia mais significativa na área econômica contribuindo para o equilíbrio da balança comercial”, salientou o dirigente.

Consórcio de exportação é alternativa para pequenas empresas, diz Marcos Vinícius

 

Dirigentes da Dal Ponte e do Banco do Brasil mostraram novos caminhos para exportação


27.10.2004

_______________________________ 

(Fonte: Alexandra Bitencourt Assessoria de Comunicação e Eventos da URI - Campus de Erechim)

 

 

 

Design by Meirelles & Piccoli Publicidade - Fone (54) 321-6226


Copyright© 2004 - Meirelles & Piccoli Corp.
Todos os direitos reservados (All Rights Reserved)