Para anunciar neste espaço, clique aqui!

Erechim/RS -

 

 

Clique na foto e veja a cidade de vários ângulos

Voltar às Manchetes    

Unimed Erechim

 

Pneumologista afirma que o câncer de pulmão é a doença mais maligna que existe

Luiz de Lucca também disse que o cigarro está entre a segunda causa de morte evitável

O pneumologista cooperado da Unimed Erechim, Dr. Luiz de Lucca, afirmou, na última quinta-feira, 11, durante a sua palestra realizada no Espaço Vida, no Ciclo de Palestras voltadas à Comunidade, que o câncer de pulmão é o tumor mais maligno que existe. 

Segundo o médico, entre 100 pessoas com o diagnóstico da doença, somente 20 têm chance de fazer tratamento curativo, através de cirurgia. Destes, em cinco anos, somente quatro permanecerão vivos. Os outros 80 se submeterão à quimioterapia ou radioterapia, apenas como tratamento paliativo, para prolongar a vida e oferecer uma sobrevida melhor.

Entre as principais causas da doença, o Dr. de Lucca afirmou que 90% dos casos são conseqüência do fumo. Também ressaltou que o cigarro é a segunda causa de morte evitável. Em primeiro lugar está a fome e, em terceiro, estão as mortes causadas por acidentes de trânsito. Conforme explanou, o cigarro ainda pode causar câncer da boca até os pulmões. Explicou que os ingredientes do cigarro são altamente nocivos. Além da nicotina, que é um líquido venenoso das folhas de tabaco, há na fumaça o monóxido de carbono, um gás extremamente perigoso. Este gás passa para a corrente sangüínea provocando graves problemas nos vasos sangüíneos e no coração. A partir do momento em que a fumaça do cigarro toca os lábios do fumante, começa a agredir por onde passa: boca, garganta, esôfago, estômago, vias respiratórias, pulmões. A fumaça absorvida pela mucosa da boca passa para o sangue alcançando pâncreas e rins; vai até a urina e atinge a bexiga; metabolizada no fígado, eliminada pela urina sendo que cada parte do corpo que entrou em contato com os tóxicos do cigarro pode ficar com câncer.

O médico também disse que os venenos da fumaça do cigarro não se perdem no espaço. Continuam no ar poluindo o ambiente e causando nas pessoas que não fumam, nos "fumantes passivos", os mesmos problemas de saúde. Na casa em que há fumantes, as crianças freqüentemente têm problemas do aparelho respiratório como bronquite, asma e infecções respiratórias freqüentes, especialmente porque seus pulmões ainda estão em desenvolvimento. Os "fumantes passivos" absorvem um terço da quantidade de cigarros ingeridos pelos fumantes.

O especialista também falou de outras duas doenças do aparelho respiratório causadas pelo fumo: o enfisema pulmonar e a bronquite crônica. Segundo ele, quem fuma normalmente associa estas duas enfermidades e correspondem à quarta causa de morte em adultos no Rio Grande do Sul. Segundo o Dr. De Lucca, não há cura para estas doenças, apenas tratamento paliativo. Nos prognósticos, após 10 anos de abandono do fumo, os riscos para o câncer de pulmão se equivalem aos dos não fumantes. 

A doença leva 8 anos para se manifestar clinicamente.

 

Dr. Luiz de Lucca

17.11.04

_______________________________ 

(Fonte: CopyDesk - Assessoria de Comunicação)

 

 

 

Design by Meirelles & Piccoli Publicidade - Fone (54) 321-6226


Copyright© 2004 - Meirelles & Piccoli Corp.
Todos os direitos reservados (All Rights Reserved)